Gosto musical

Mais uma vez, torresmo e pinga na saída do serviço.

E os cigarros que eu não deveria mais fumar — acendo um no outro,

que já que é pra foder de vez,

que seja em grande estilo. Pau no cu da morte.


Novamente sentindo a pança apertada dentro da camiseta,

a cueca samba-canção me assando as partes,

os pés prestes a explodirem dentro

dos sapatos — o dedo mindinho incomodando

a meia comprada no camelô.


Blues sai dos meus fones de ouvido,

blues sendo tocado por músicos de jazz;

nada da escala pentatônica sendo torturada por

um palhaço de cartola tentando convencer outro

de algo além de uma punheta meia bomba

tocada no braço da guitarra.


Enquanto você tiver um gosto musical descente, ainda existe uma chance.


John Coltrane, continue soprando, filho da puta.



Gilberto Sakurai – 02/04/2012

Vinte e sete barbas

Eu havia tido uma semana horrível. Perdera as chaves

de casa, fodera a lateral do carro numa viga invisível e

tivera um ataque de pânico durante uma

pane no vagão do trem do metrô…

.

E então nós estávamos no bar e antes da sétima garrafa de cerveja

eu já tinha começado a passar mal. Muito mal.

Mas muito mal mesmo.

Devia ter algo a ver com os remédios que eu estava

tomando — na bula de um deles constava que “…o uso de álcool juntamente

com este medicamento pode causar hemorragias internas”.

Claro que eu vinha achando era balela até então.

Continue lendo “Vinte e sete barbas”

a barba que era o cabelo

esse copo de cachaça

esse cigarro

às três da manhã

nesse frio em pleno verão

um ano quase sem sair de casa

.

e o natal não foi lá essas coisas, bebê

a gente achou que seria diferente mas

não havia o que ser dito

até me fantasiei de Papai Noel

as crianças adoraram seus presentes

nós comemos e bebemos e

comemos e bebemos de novo

e então

não havia mais nada a ser feito

.

Continue lendo “a barba que era o cabelo”

Terceiro turno

Terceiro turno - Gilberto Sakurai, O Maldito Escritor

Rosas são vermelhas

Violetas são azuis

E eu não vou brigar com ninguém por causa de política

 

Vieram aqui em casa espinafrar o meu suposto candidato

Às nove horas da noite

Mas eu não espinafrei o deles de volta

Eu fiz janta e dei cerveja pra todo mundo

Enquanto tentava ouvir o jogo de futebol

E fingir que eu era um cara legal

Porque na verdade não importa pra você quem espinafra o quê

Ou quem come quem

Desde que as coisas funcionem

Continue lendo “Terceiro turno”

Espelho meu

uma garota que era bonita
e sabia disso
eu com dezesseis
ela quinze
e toda a historinha que você já sabe

eu também não me achava de se jogar fora
mas meu carisma só durava até eu abrir o meu buraco de merda
quero dizer, boca
eu afastava os outros
inclusive as bonitas
é só que algumas não entendiam direito a mensagem
e agora compreendo:
não estavam acostumadas com isso

de qualquer forma, nunca durava muito tempo
eu não tinha nada de mais para oferecer
eu era só ódio
achava cafona não achar todos os outros sentimentos cafonas
só pensava em coisas más
mas passava mal se visse uma gotinha de sangue sequer
minha, evidentemente
quanto a elas, sei lá o que achavam ou queriam
a mim pareciam sofrer de algum tipo de transtorno mental
sorriam e falavam demais
riam de coisas sem sentido
choravam por causa de nada
muitas vezes faziam todas essas coisas ao mesmo tempo
cumprimentavam perdedores até piores do que eu
com um beijo no rosto
aquilo não parecia normal

demorou para eu entender o que é que realmente não era normal

Continue lendo “Espelho meu”

você também

vocêtambém-GilbertoSakuraiOMalditoEscritor

é raro
mas tem vezes em que me sinto satisfeito comigo mesmo
como num domingo desses
almoçando lá na casa do chapéu
lugar decente
comida decente
tomando dois meios copos de cerveja
porque estou dirigindo
só tem ladrão na política
bandido tem que levar tiro mesmo
…isso inclui a maioria dos políticos
essas conversas

de cabelo que acordou bom
camisa polo de oito anos atrás que ainda serve
enquanto escuto mais do que falo
enfiando dentro da boca um polvo apimentado
as pessoas das outras mesas me observando insistentemente
eu desde que nasci sem consegui descobrir o que se passa
que parece que
ando cagado vinte e quatro horas por dia
Continue lendo “você também”

poker face

poker_29030400

“por quanto tempo mais

ela vai continuar

aguentando?”


eu vinha me fazendo essa pergunta há tempos.

você sabe,

não lhe dei uma grande festa de casamento

nem viagem para fora do país


certa vez lhe presenteei com uma joia,

verdade seja dita,

mas estamos juntos há uma década

e uns quebrados


sei que você vai falar de amor,

isso é o que realmente importa, etc.


é verdade

e nunca faltou aqui em casa

Continue lendo “poker face”