Espelho meu

uma garota que era bonita
e sabia disso
eu com dezesseis
ela quinze
e toda a historinha que você já sabe

eu também não me achava de se jogar fora
mas meu carisma só durava até eu abrir o meu buraco de merda
quero dizer, boca
eu afastava os outros
inclusive as bonitas
é só que algumas não entendiam direito a mensagem
e agora compreendo:
não estavam acostumadas com isso

de qualquer forma, nunca durava muito tempo
eu não tinha nada de mais para oferecer
eu era só ódio
achava cafona não achar todos os outros sentimentos cafonas
só pensava em coisas más
mas passava mal se visse uma gotinha de sangue sequer
minha, evidentemente
quanto a elas, sei lá o que achavam ou queriam
a mim pareciam sofrer de algum tipo de transtorno mental
sorriam e falavam demais
riam de coisas sem sentido
choravam por causa de nada
muitas vezes faziam todas essas coisas ao mesmo tempo
cumprimentavam perdedores até piores do que eu
com um beijo no rosto
aquilo não parecia normal

demorou para eu entender o que é que realmente não era normal

os anos se passaram e
uma engordou quinze quilos e tem o mesmo emprego
ruim de quinze anos atrás
outra juntou os trapos com um sujeito obtuso
por não ter coragem de se assumir lésbica
teve uma que se tornou uma bela
potranca
e hoje trabalha com o pai — que ela achava que era um bosta e que tinha abusado
sexualmente dela em certa ocasião
uma outra mora no exterior; tem um
monte de filhos e continua bonita
e maluca, imagino

e também teve uma que morreu de tanto usar drogas, disse
um conhecido meu
que saiu de uma fazenda de reabilitação
há uns tempos atrás
ele contou que não passava uma noite sem ver o espírito dela
rodopiando junto de outras porcarias
numa espécie de espiral psicodélica que se
abria
no chão do seu quarto

eram belas garotas que
pensavam que tinham o mundo aos seus pés
quando
na verdade
o mundo era que nem eu:
só queria saber de si mesmo

e continuou girando

apesar do seu rabo perfeito
naquela calça preta colada que deixava a vida bem interessante
e do seu rosto exótico
e até
do que você tinha por dentro

apesar de eu ter me apaixonado por você
e até hoje
pensar na vida
que poderíamos ter tido

não sei porque
mas
imagino
que você também pense nisso

isso que já não me machuca mais
que eu gostaria de dizer que sequer arranha a superfície
mas o fato é que
ainda
incomoda

e não vou fazer nada a respeito
pois tenho a minha vida
que nem é tão dura assim
e você tem a sua
e acho que a humanidade toda devia passar menos tempo olhando para um tela
agradecer mais
se desculpar
menos

faz tempo que eu sei
o que é acordar ao lado de uma mulher
que tirou a maquiagem quando chegou em casa
toda vez que ela sorri pra mim
é o meu reflexo que
vejo em
seus dentes

me pergunto se com você o mesmo se passa.

 

Gilberto Sakurai “O Maldito Escritor” — 03/03/18

merda pra ouvir

merda antiga

facebook

fan page

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s